quinta-feira, 26 de abril de 2012

Espermatogênese e Ovogênese


É a produção de espermatozoides que ocorre nos túbulos seminíferos dos testículos quando é alcançada a maturidade sexual. São necessárias de 10 a 11 semanas para a formação dos espermatozoides a partir da célula primitiva. O espermatozoide é semelhante a um girino e consiste de:
  • Cabeça oval
  • 1 núcleo
  • Corpo
  • Cauda longa que auxilia na mobilidade

Os espermatozoides liberados das células de Sertoli ainda estão imaturos, imóveis e sem capacidade de fertilizar. Estas habilidades são adquiridas durante a passagem pelo epidídimo (cerca de 2 semanas), em um processo chamado maturação.
Durante a ejaculação os espermatozoides que estão nos ductos deferentes e no epidídimo são transportados para uretra devido às contrações dos músculos lisos dessas estruturas e do ducto ejaculatório.
A força propulsora do sêmen provem dos músculos esqueléticos que circundam a base do pênis.
As secreções das vesículas seminais e da próstata também são lançadas na uretra. Estas secreções e aquelas das glândulas bulbouretrais junto com os espermatozoides formam o líquido reprodutor conhecido como Sêmen.
A ovogênese é o desenvolvimento do óvulo que acontece no ovário.
Todos os óvulos produzidos pela mulher durante a vida reprodutora são originados dos ovócitos (células primitivas) e já estão presentes, ao nascimento, nos ovários.
Cerca de 400.000 ovócitos estão presentes nos ovários quando o período reprodutor da mulher começa.
Na puberdade, devido a grandes secreções de FSH, um óvulo maduro se desenvolve a partir do ovócito em 28 dias.
As alterações ovarianas associadas a este desenvolvimento é chamado ciclo ovariano. As alterações ocorridas no endométrio ao mesmo tempo são conhecidas como ciclo menstrual. Uma vez no mês, em média no 28° dia do ciclo menstrual, ocorre o processo de ovulação. O ovócito se rompe e o óvulo sai lentamente do ovário.
Depois de ser ejetado do ovário, o óvulo começa uma viagem de 6 a 8 dias para o útero, a cerca de 8 cm de distância, impulsionado pelo peristaltismo da tuba uterina. A fertilização ocorre neste trajeto, quando após 5 minutos depois do coito, os espermatozoides alcançam o óvulo.
Das centenas de milhões de espermatozoides ejaculados apenas 1 penetra no óvulo efetivando a fecundação com a união dos 2 gametas dando origem ao zigoto com 46 cromossomos.
A testosterona, formada nos testículos, é o mais potente andrógeno.
Durante o desenvolvimento embrionário este hormônio é responsável pela diferenciação sexual.
A combinação entre o cromossomo do espermatozoides com o do óvulo determinará o sexo do embrião. O aumento da secreção de testosterona na puberdade é responsável pelo crescimento dos órgãos genitais externos e internos pelo aparecimento dos caracteres sexuais secundários
Como engrossamento da voz, desenvolvimento muscular e padrão de pelos.
Este hormônio é responsável pelo crescimento e desenvolvimento do útero e da vagina, na puberdade, e pelo aparecimento dos caracteres secundários como o aspecto feminino e pela recuperação do endométrio após a menstruação. O estrogênio também exerce controle parcial sobre o desenvolvimento das mamas e suas funções, como a formação dos ductos da glândula mamária.
A diminuição na secreção de estrogênio leva a irregularidades no ciclo menstrual e à atrofia das mamas e útero.
A progesterona prepara o útero para fecundação e ainda é responsável pelo desenvolvimento das células secretoras de leite das glândulas mamárias durante a gestação. A diminuição da secreção de progesterona leva ao aborto espontâneo em mulheres grávidas.
A placenta é uma estrutura na parede do útero onde o embrião está preso através do cordão umbilical e através do qual recebe nutrição, troca gases respiratórios e elimina excrementos. A irrigação da placenta é feita pelas artérias e veias uterinas.
A placenta também exerce uma função protetora criando uma barreira contra doenças bacterianas. Porém, vírus e algumas doenças congênitas como sífilis podem afetar o feto.
Ainda é considerada órgão endócrino, pois é capaz de produzir hormônios.

Um comentário:

lennyamore disse...

Ótimo seu texto sobre espermatogênese e ovogênese!!! vc poderia citar algumas diferenças entre espermatogênese e ovogênese???

Compartilhe